Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2013

Os Encantos do Alabá

Alabá que dizer “Peço licença para entrar no seu Aledá”. E assim devemos nos sentir, ingressando no Aledá, na presença dos Cavaleiros da Luz!
Sua realização é grandiosa, uma grande corte espiritual se desloca para atender mestres e ninfas, que de indumentária, incorporam suas entidades, buscando harmonizar e reequilibrar o plexo do pacientes. Dado a grandeza das energias manipuladas, da ausência de passagens de espíritos sofredores, pelo Reino de Zana representado nas indumentárias, pela invocação dos Cavaleiros da Lança e da Luz, o benefício aos mestres e ninfas, que participam, é uma “recarga” completa! Não há como sair de um trabalho de Alabá sem sentir sua tônica revigoradora, que traz paz e equilíbrio também ao plexo físico. As emissões e o grande deslocamento de energia espiritual, formam uma rede magnética que recolherá todos os vestígios negativos removidos durante a execução do trabalho.
O ritual consiste na formação de uma elipse no lado externo do templo, após as seis da tard…

Pérolas de Preto Velho

Meu filho, lá nos planos espirituais, aonde você muitas vezes vai quando dorme, mas ao acordar não lembra, existe uma grande família espiritual a lhe esperar, velar e torcer por você. Quebre a barreira vibracional com sentimentos e pensamentos elevados, levando seu coração até eles. Mate a saudade espiritual que existe dentro do seu peito. Deixe a intuição fluir. Os mentores não são mestres intocáveis que vocês devem reverenciar, mas sim, são amigos de jornadas. Conheça-os, trabalhem juntos e se alegrem juntos. Eles estão te esperando.

Mediunidade é uma missão importante, mas não diviniza e nem inferioriza ninguém. Vocês sabem disso. Tem gente que pensa que ser grande médium é praticar fenômenos para “incrédulo ver”, fazer profecias e escravizar sentimentos. Outros pensam que é se vestir todo com uma fantasia e das vazão às suas próprias emoções, gritando e batendo, fazendo o sofredor sofrer ainda mais com suas energias. Não! Mediunidade é trabalhar com respeito! Com o mesmo respeito q…

O Mestre Lua!

Quem me conhece pessoalmente sabe do especial carinho que sempre dediquei aos Ajanãs.
Um médium de incorporação deve ser respeitado como nossa capacidade máxima de comunicação direta com os planos espirituais.
Ser Apará é uma missão dolorosamente grandiosa. Ouvir, traduzir conhecimentos e instruções que por vezes ainda são muito difíceis para o próprio médium seguir. Imagine o conflito interior que vive um Apará, que com a voz direta, tem que respeitar seu juramento, passando as instruções para um paciente e que muitas vezes ainda não consegue dominar aqueles mesmos instintos.
O Mestre Lua sofre! Sofre a incompreensão dos Doutrinadores, que por vezes o julgam melindrosos, “cheio de dedos”.
Sofre com a incompreensão de si mesmo. De muitas vezes não se sentir digno da grandeza da qual é instrumento.
Sofre com a consciência da incorporação e as dúvidas que se acercam nesta hora.
Ser o instrumento de uma Entidade de Luz implica em ser o seu ouvido o primeiro a ouvir os conselhos, as orientaç…

O Cacique Guerreiro

Seriam cerca de quatro horas da tarde quando Nestor chegou. O Primeiro Mestre Jaguar costumava sempre chegar à noitinha ou então depois da janta. Nesse dia o “expediente” de Neiva estava realmente cheio. Nestor ficou num canto do “sétimo”, como era chamada a sala-escritório-dormitório de Neiva. Estava realmente difícil conversar com “a chefe” nesse dia. Pessoas entravam e saiam ininterruptamente, apesar do controle dos “porteiros” e da vigilância do seu Mario. Pensava Nestor: esse é realmente o maior problema do Vale. Todo mundo quer falar com Neiva e, apesar da inesgotável paciência dela não consegue atender a todos”. Nisto entrou um casal com aspecto de roceiros e trazendo pela mão uma mocinha de quinze anos, magra e visivelmente doente. Nestor prestou atenção na “consulta” e ficou vivamente impressionado. A mocinha tinha agulhas, pregos e outras coisas de metal que “apareciam” no seu corpo e quanto mais tirava, mais aparecia. Neiva olhou, falou muito pouco, chamou um dos Avaganos q…

É POSSÍVEL!

Que o gume desta espada, apontada para o meu peito, fira-me, se meu pensamento se afastar de Ti, meu Pai, ou se eu me envaidecer novamente!
Inicio assim, nosso texto de hoje, porque não posso deixar de compartilhar toda a alegria vivida e um pouco das vitórias desde pequeno Jaguar Exilado. Meus irmãos, e irmãs, é possível! Sim é possível!
Há pouco mais de um ano, eu não tinha nada! Nem esperanças palpáveis, nem perspectivas e meus sonhos se restringiam a um possível “milagre” que mudaria tudo.
Neste momento de total “desespero”, onde não tinha nada além da minha fé para me apegar, eu me encontrei comigo mesmo. Com uma linda família que em mim confiava, eu saia pelas ruas, meio sem rumo e totalmente sem foco, andava por horas, em um país desconhecido, com idioma que eu não dominava e aceitava o trabalho que aparecesse, quando aparecesse...
Neste momento, de maior dificuldade, onde sentia claramente Pai João querendo me ensinar uma nova lição, compreendi a encarnação passada por muitos de no…

Adjunto Yuricy

Uma homenagem do Mestre Gilmar   -  
O tempo, com sua ação silenciosa, por vezes nos consome, e faz cair no esquecimento pessoas e fatos  importantes em nossa vida. Sabemos que precisamos aceitar o progresso, mas também devemos considerar que somos o reflexo do que plantamos, de tudo e todos que fizeram parte desta nossa existência terrena.
Maria Edelves Couto dos Reis, Adjunto Yuricy! Marcou a vida das pessoas que tiveram a oportunidade de estar ao lado dela, mulher forte e de grande sensibilidade mediúnica, verdadeiramente preparada para fazer parte da formação da Doutrina do Amanhecer.
Recém chegada do então antigo Distrito Federal do Rio de Janeiro, nascida no estado do Piauí, veio transferida para a jovem capital Brasília. Ela assessorava altos funcionários públicos, onde sua condição enérgica e perfeccionista, aliada a sua curiosidade de conhecer o lado mediúnico e transcendental que sempre estivera presente em sua família biológica, levou-a a procurar a “Clarividente do Vale do A…

Um Ajanã na luz do Sol

Abaixo uma mensagem, mais do isso! Na verdade um poema de um Mestre Ajanã de longa data. Um veterano que tem a humildade assumir a contínua busca do aperfeiçoamento pessoal. Meus respeitos Mestre Julio. (republicação)
Salve Deus! Sou apenas um Ajanã solitário sobre o divã do sol.
Aceitação! Esta é uma palavra chave para estes nossos momentos.
O preconceito de idéia mata a mente.
Incluir os outros é a lição da vez, observo em mim mesmo...
Nunca devemos ficar às margens da verdade, a título de fidelidade ideológica, em uma interpretação racional difusa sob a ritualística.
Preocupo-me com os contextos... Falando para mim... Mas todos são meus irmãos neste caminho terrestre!
São bonitas as histórias e as experiências fora do corpo, mas as considero acima de tudo sob a égide de uma forma subconsciente de estudos. Uma ferramenta de aprendizado inter-planos.
A mediunidade aguçada traz algo do paraíso e muito do umbral, sobretudo se o ser ainda estiver preso ou refém do ego.
Este acervo eletrônico é pr…

PRESERVAÇÃO DOUTRINÁRIA

Temos um claro compromisso de fidelidade com o quê nossa Mãe Clarividente nos ensinou. Acreditamos em sua Clarividência e, portanto, sabemos que o quê nos foi deixado veio originalmente dos Planos Espirituais.
Nossos Trabalhos, Leis e Chaves, posturas, e até mesmo a elegância, devem ser respeitadas e os “invencionismos” e valores agregados de outras seitas e correntes, abandonados. O quê poderia ser compartilhado em comum já foi claramente agregado na formação do Mestrado e na formação de nossos Símbolos Doutrinários.
Adaptações e acomodações de conveniência, em vãs tentativas de conseguir-se adeptos, caracteriza um proselitismo totalmente contrário ao nosso princípio de atração magnética. Quem deve chegar a Doutrina, chega por atração! O seu crescimento deve ser fruto exclusivo da emanação do local e dos médiuns que fazem parte de um Templo.
Exemplos explícitos do funcionamento real desta “lei” podem ser notados nas diferenças em Templos de mesma idade de fundação, com características s…

Por que “Preto Velho”?

Uma das mais difíceis provas enfrentadas por nossos irmãos Jaguares, em busca de sua evolução, foi a passagem pela escravidão.
Considerada uma mancha na história da humanidade, e principalmente na História do Brasil, nós espiritualistas devemos ter uma ótica particular sobre este assunto. Nossa compreensão vai além dos olhos físicos e considera que, neste período triste, milenares espíritos de outrora tiveram condições de assumir, com muita coragem e desprendimento, seus débitos passados e, muitos, evoluírem a uma condição espiritual superior.
Despojados de tudo, de todos os pertences materiais, de todas as ligações emocionais, da família e estando em absoluta falta de perspectiva futura, muitos atenderam ao clamor do espírito e no ressoar de suas cantigas encontraram-se com seu verdadeiro “eu”... Com o espírito!
Somente assim, estes bravos Jaguares, endurecidos pelas intempéries dos tempos e das encarnações de liderança e poder, se desprenderam de toda a matéria e todas as emoções, enco…

A História de um Doutrinador *

Há uma história, que Tia Neiva contava e que foi repetida inúmeras vezes em “versões” diferentes, mas as quais nunca mudaram sua essência. Nas aulas de Pré-Centúria, no Curso de Sétimo Raio, ela é recontada, pois nos dá uma verdadeira lição, despertando para a importância do compromisso espiritual, que podemos agora estar vivenciando.
Das diversas versões que ouvi, do Nestor, do Bálsamo, do Silvério, do Salviano, entre outros, a que mais me marcou foi justamente a primeira. Creio que com todos se passa assim! Ouvi do Trino Maralto, Mestre Gilfran, quando assisti pela primeira vez o curso de Pré-Centúria. Abaixo podem acompanhar esta história:
Há muitos anos, em um jantar na casa da Vó Sinharinha, a mãe da Tia Neiva, escutei, pela primeira vez, a história de um espírito, que foi trazido à presença de Nossa Mãe, pelos Mentores, para contar sua história, que deveria ser recontada aos filhos de Pai Seta Branca. Eu era um adolescente e fiquei impressionado com aquele relato. Foi muito intere…