ÚLTIMOS TEXTOS

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Separação de casais

quarta-feira, 11 de outubro de 2017 - 8 Comments



Muitas vezes iniciamos um relacionamento sob os auspícios de uma fraterna amizade ou de um grande amor. Mostramos e vemos o quê mais nos agrada na pessoa e nos encantamos com a possibilidade de estar ao lado de um companheiro(a) para toda a vida. Isso acontece nos namoros, casamentos, amizades, sociedades e em praticamente todas as relações interpessoais.

Porém, com o passar do tempo, novas facetas, da então pessoa admirada se revelam, e surgem os conflitos... e despertam-se os reajustes e cobranças.

Teria tudo dado errado? Quando somos conscientes paramos para nos questionar onde erramos. Quando não temos a consciência desperta, normalmente jogamos a culpa no outro, acusamos que a pessoa “mudou”, e as dores do convívio, as intimidades, passam a ser objeto de sofrimento.

Meus irmãos e irmãs, todos nossos reencontros são programados. O reajuste irá se processar. Se ambos estiverem chegado a um nível de evolução e compreensão, entenderão que é chegada a hora de parar, de terminar a ligação sem a necessidade de tornarem-se “inimigos íntimos”.

A energia do reajuste, após manipulada, trará o natural desligamento, quando os envolvidos sentem que cumpriram seu papel. Ou, se insistirem em manter o insustentável, seja pela vaidade, orgulho, ganância, ou qualquer outro sentimento de posse negativo, correrão o risco de iniciar um novo ciclo de desequilíbrio e dívidas futuras.

Nenhuma separação é fácil. Seja uma amizade rompida pela desconfiança, uma sociedade que se esfacela pelo radicalismo de uma parte, ou um matrimônio que desmorona pela incompatibilidade detectada nas personalidades.

Porém é preciso identificar o momento em que termina a cobrança, em que o reajuste está cumprido e esforçar-se ao máximo, com todas as forças mesmo, para terminar em harmonia. Para conquistar o mérito pela consciência.

“O reajuste mais barato é o que se paga com dinheiro, as vezes um grande prejuízo material é o menor preço cobrado pelos nossos desequilíbrios de um passado sombrio de tantas encarnações passadas”. (Pai Zé Pedro)

Terminar bem é a coroação do reajuste pelo amor. Não importa se uma das partes “levou tudo”. Como diz Pai Zé Pedro, pode ter sido o melhor preço negociado para sua vida seguir adiante, com saúde e sem perseguições. O apego material nos traz muito mais dor e pode gerar um novo ciclo kármico a ser pago com mais um retorno a este planeta... e as oportunidades de voltar estão escasseando...

Ao identificar a necessidade dos fechamentos, das finalizações, procedamos este “parto” sem dores sofridas! Abra mão, esforce-se para fazer o melhor para outra parte, afinal você não sabe até onde deve, mas sente que deve terminar e tem consciência de que se terminar “bem”, o ciclo estará cumprido, o reequilíbrio realizado e o reajuste finalizado. Assim, estará livre e pronto para o próximo passo, para a próxima missão.

Kazagrande

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

TEMPLOS DE PAUS E PEDRAS

segunda-feira, 9 de outubro de 2017 - 0 Comments


“Deus não está nos templos de madeira e pedras, mas sim no bom coração de cada homem”.

Relendo as máximas atribuídas a São Tomé, em suas variadas versões, encontro algo que Tia Neiva registrou como nosso Mantra de Iniciação: O Senhor tem seu Templo em meu íntimo... . Claro! Não com as mesmas palavras, mas que igualmente nos direciona à reflexão sobre a missão que assumimos.

Será a grande missão do Adjunto Koatay 108 erguer Templos de pedras, ou construir no coração dos homens a consciência de amor, humildade e tolerância?

Quantos insistem no físico, na necessidade de construir um belo templo, implementar estruturas compatíveis com trabalhos grandiosos provenientes da Espiritualidade e mantêm o coração dos médiuns na enfermidade de seus reajustes kármicos sem a compreensão dos porquês e a resposta aos anseios de conhecimento e compreensão da missão colocada em suas mãos?

Será possível cumprir a missão erguendo um grandioso templo de pedras, destinado à cura dos pacientes físicos e espirituais, mantendo enfermo o corpo mediúnico que sofre e se debate em suas próprias enfermidades?

“Quem passa pelo Amanhecer desconhecendo suas Leis, não se cura e nem cura ninguém”. Tia Neiva

Trazer a grandiosa estrutura física, sem garantir que em cada coração foi lançada a verdadeira semente do Evangelho, é o mesmo que construir um hospital ricamente aparelhado, com todas suas salas de cirurgia, equipamentos de última geração, com todo o necessário para diagnósticos e operações, sem contratar os médicos de cada especialidade.

Cada um de nossos trabalhos têm uma finalidade peculiar, embora todos visem a Cura Desobsessiva, cada qual precisa de médiuns conscientes do trabalho que se está realizando! Realizar um trabalho é muito diferente de cumprir um ritual. A ritualística pode ser perfeita, mas as mentes envolvidas precisam do conhecimento para que possam direcionar corretamente suas energias sem dispersar seus pensamentos.

Somente um médium consciente “do que está fazendo” e do que cada emissão representa, poderá aguentar horas e horas de Leito Magnético em real sintonia. É preciso um comando envolvente, consciente, dinâmico, unificando as mentes nas reais possibilidades que podem ser alcançadas com o trabalho... Foi apenas um exemplo!

Obviamente a Espiritualidade aproveita cada energia emitida, mesmo que o trabalho não seja cumprido. Porém, quantas possibilidades seriam melhor aproveitadas se os participantes vibrassem na compreensão do significado de cada emissão, de cada passo... Sem a compreensão todos parecem participar de um teatro de falas decoradas sem a emoção que qualifica a energia emitida.

Talvez não possamos saber de tudo, pois traduzir tudo que a Clarividente enxergava seria impossível com as palavras existentes. Mas “saber o que está fazendo”... traria uma nova visão e concentração na realização. Ela chegou mesmo a dizer que se víssemos tudo que passava na Estrela Candente, não iríamos ter coragem de participar. Mas mesmo assim descreveu tudo, passo a passo, o que acontece, para que fixasse em nossas mentes a grandiosidade da realização e a imensurável responsabilidade em nossas mãos!

Às vezes me cobro por não partir para abrir um novo Templo, mas, enquanto não chegar a hora, seguirei tentando, tentando colocar um tijolinho de consciência no templo do coração de cada um.

Kazagrande

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Um pouco da Vida Material

quarta-feira, 4 de outubro de 2017 - 0 Comments


Meus irmãos e irmãs, Salve Deus!

Muitas vezes me perguntaram como foi que “renasci das cinzas” e obtive tanto sucesso na vida material. É... Eu já “quebrei” algumas vezes, não uma ou duas vezes, mas várias vezes tive que recomeçar do zero.

Meu último recomeço é recente, e desta vez não foi porque quebrei de novo, mas sim porque retornamos ao Brasil depois de sete longos anos de Bolívia e, mais uma vez foi necessário “me reinventar”. Teoricamente poderia “pôr o burro na sombra”, pois os anos de Bolívia valeram um Diploma de Medicina para minha esposa e hoje, já devidamente revalidado no Brasil, ela poderia sustentar toda a casa. Eu costumava dizer que estava investindo na aposentadoria ao manter seus estudos... rsrsrs

Mas... Um espírito inquieto como o meu não aguentou muito tempo parado e era preciso encontrar o que fazer e ter dinheiro para continuar me sentindo livre. Recomeçar aos 50 anos não é muito fácil não... Embora tenha uma grande experiência em várias áreas de trabalho e até mesmo considerado algumas propostas bastante interessantes, eu não queria perder a qualidade de vida. Nos trabalhos que desenvolvi eu sempre dei o sangue e trabalhava muito mais do que deveria, sacrificando o convívio familiar e o equilíbrio espiritual. Não podia perder o equilíbrio adquirido!

Após estudar várias possibilidades, de colocar um negócio próprio até voltar para a Televisão, onde fiz uma boa carreira, esbarrei “meio sem querer” em um vídeo sobre comércio online. Estudei muito antes de tomar a decisão e fiz um teste. Valeu a pena e as coisas começaram a fluir com a esperada naturalidade.

Nunca misturei estes assuntos da vida pessoal com nossos textos do Exílio do Jaguar, mas hoje acordei com a intuição de ao menos compartilhar como tudo começou. Não vou falar muito do assunto, mas, para os que desejam saciar a curiosidade sobre meu sucesso, ou quem sabe se “reinventarem” também, apresento o “guru” que involuntariamente me conduziu a desenvolver o negócio que hoje gerencio de casa, sem necessidade de sacrificar meu tempo com a família ou com a espiritualidade: ^GURU DO KAZA^ (clique aqui)

Nada de correntes milagrosas, vendas de produtos em contato direto com clientes... Apenas a dedicação em manter no ar as propostas de divulgação de terceiros cujo caráter analiso criteriosamente antes. Durante este último ano em que me dediquei a este trabalho, creio que nunca nenhum de vocês viu qualquer produto relacionado ao meu nome e é assim mesmo! Não me sentiria cômodo de oferecer nada em meus perfis, apesar do grande potencial, mas deixo para vocês conhecerem como comecei e posso apenas dizer que para mim funcionou muito bem! Quem sabe esteja ajudando alguém que precisa recomeçar como eu recomecei?


Um fraterno abraço, Kazagrande
(Não entendeu bem? Escreva para kazagrande.sbt@gmail.com 

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

AVALIANDO RESPONSABILIDADES

segunda-feira, 2 de outubro de 2017 - 1 Comment


Não são somente as pessoas que escrevem, que são capazes de acirrar os ânimos e trazer discórdia, assim como não são apenas nossos cobradores que podem formar na sua mente a divagar estados alarmante de ansiedade e revolta.

Por vezes no dia a dia, quantas vezes, em nossos lares, trabalho e até mesmo na vivência espiritual, marcamos nos outros destrutivas impressões de revolta e indiferença, com os nossos gestos impensados?

Quantas vezes nossa frustração terá causado, nas pessoas que nos cercam, o desânimo e a frustração?

Em quantos pequeninos lances da luta diária, alimentamos à calúnia e a maledicência, plasmando idéias que, hoje vagas e imprecisas, podem ser amanhã, decisivos fatores de perturbação e delinqüência? “O negativo de hoje será o mal de amanhã”.

Nos afastando de avaliar as responsabilidades que nos enriquecem o espírito, freqüentemente baixamos nosso padrão a questionamentos infelizes e improdutivos, sugerindo a maldade e disseminando a aflição entre nossos irmãos, agravando, assim, nossos débitos, consolidando as forças da ignorância e da crueldade, em desfavor de nós mesmos.

No templo de nossa fé e no campo da caridade que Pai Seta Branca nos oferta, é hora de lembrar que responderemos pelas imagens que os nossos pensamentos, palavras e ações produzem na alma dos outros.

Quando naquele esquife deitou-se o homem e levantou-se o Iniciado desta Corrente Iniciática, nos incumbimos do compromisso de evoluir na jornada da vida física também! Não temos mais o direito de esquecer a claridade de paz e bom ânimo, confiança e alegria que nos compete estender, na proteção aos que nos cercam, a fim de que possamos avançar livremente ao encontro da harmonia e do progresso, porque todas as nossas criações de pessimismo e indisciplina, desalento e amargura, em seus golpes de retorno, significarão para nós mesmos, penúria e dificuldade, infortúnio e provação.

Lembremos todas as manhãs de pedir ao nosso disciplinador, Pai João de Enoque, que nos auxilie a manter nossos pensamentos, palavras e ações, somente no que for bom e produtivo.

Kazagrande

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

O "tempo" dos Mentores

sexta-feira, 29 de setembro de 2017 - 7 Comments


“Só falta um pouquinho, meu filho…”

“Logo você vai receber esta graça...”

“Sim, minha filha, só tenha um pouco de paciência que não vai demorar...”

Quantas vezes nos deparamos com mensagens de nossos Mentores afirmando que logo “tudo vai dar certo”?

E por que parece que sempre demora demais?

Meus irmãos e irmãs, costuma-se justificar a demora na atenção aos nossos pedidos pela “diferença de tempo nos Planos Espirituais”, mas não é bem assim...

Na verdade, sempre que fazemos um pedido para a Espiritualidade e nossos Mentores respondem que sim, que vamos ser atendidos, a demora não acontece pela diferença de contagem de tempo e sim pela nossa falta de condições de receber. Por vezes, temos o merecimento, o momento é adequado, a Espiritualidade está pronta para nos auxiliar, mas... Nós não permitimos!!!

Sim, nosso padrão vibratório baixo, nossos pensamentos imersos na desilusão, pessimismo e outras lembranças negativas, não permite que recebamos o auxílio tão esperado.
Vivemos o reflexo de nosso padrão vibracional: “seu padrão vibratório é a sua sentença”.

Como podemos esperar coisas boas, soluções, curas e auxílios, se estamos mergulhados na falta de fé ou apenas querendo “barganhar” com nossos Mentores? Não é possível! Pedir é muito fácil, mas temos que estar em condições de receber. Temos que estar abertos, positivos, otimistas, para que a intuição esteja aguçada, para que nossos Mentores possam nos inspirar as soluções, para que o caminho naturalmente apresente a solução igualmente positiva!

A resposta está sempre dentro de nós. Somente vibrando de maneira positiva, tendo fé, é que podemos atrair coisas e pessoas boas, que podemos trazer as soluções e não ficar agravando os problemas pela nossa energia pesada e intolerante.

Quando falo em fé, não é a fé em desejar algo, é a fé incondicional! Sem colocar imposições ou horrivelmente tentar “negociar” com a Espiritualidade, fazendo promessas para depois. É ter atitude a partir do momento em que se deseja atingir um objetivo.

É visualizar e passar a desfrutar da energia do que se deseja.

Tudo se plasma primeiramente de maneira energética. A realização de nossos desejos se dá em três etapas: primeiro a nível emocional (desejamos algo que irá nos fazer bem), depois registramos e plasmamos no campo espiritual a energia a ser manipulada, para que então possamos materializar no físico.

Tudo é energia, e se processa primeiramente pela manipulação energética. Se compreenderem esta máxima, possuirão o poder de receber tudo que estiver ao seu alcance, na medida de seu merecimento e de sua sintonia positiva.

“Entregue aos pés de Pai Seta Branca”... Esta outra frase, tantas vezes repetida, traz a libertação da ansiedade. Entregou, está entregue! Passe a viver como se já houvesse recebido. Passe a atrair pessoas, coisas e situações boas para sua vida, liberto do problema.

Quando a Espiritualidade, quando seus Mentores dizem “sim”, a você só cabe vibrar positivamente, sem ansiedade e com real certeza de que tudo está sendo resolvido.

Para mim, homem ansioso e extremamente prático, foi muito difícil absorver este conceito, mas a partir do momento em que troquei a ansiedade pela verdadeira fé, tudo mudou! Você pode mudar toda sua vida também!

Um fraterno abraço,
Kazagrande

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Estamos Evoluindo?

segunda-feira, 25 de setembro de 2017 - 0 Comments



Meus irmãos e irmãs, Salve Deus!
Um dos objetivos de nosso espírito, ao assumir mais uma encarnação neste plano físico, é buscar a própria evolução. Evoluir vai além de cumprir nossos reajustes e sanar nossa cobranças, evoluir significa conseguir passar por esta vida sem deixar mais pessoas vibrando contra nós.

Para evoluir precisamos abandonar certas atitudes, e palavras, que venham a ferir os outros, deixar mágoas e consequentemente provocar lembranças negativas contra nós. Por vezes nem nos damos conta do quanto estamos ferindo aos outros com coisas simples, ações por nós desprezadas mas que ficam guardadas na memória do ofendido e que vêm à tona quando lembram de nós.

Nossas intransigências, nossa falta de tolerância, nossa maneira arrogante de colocar opiniões controversas, nossa vaidade em apresentar pretensas qualidades, nosso comportamento diante de pessoas que inevitavelmente nos julgam sem saber que nossa real intenção poderia ser positiva.

O peso em dizer que não devemos satisfação a ninguém, ou que ninguém tem nada com minha vida, transmite uma imagem arrogante e vaidosa que conduz o observador ouvinte à conclusão de que nós somos egoístas e mal amados.

Tia Neiva já afirmava “é caridade também dar satisfação ao seu vizinho que não sabe de seus pensamentos”. Por isso vigiar nossas atitudes e palavras tem uma importância imensurável em nossa evolução! Traduzir nossas boas intenções em palavras e atitudes que possam ser bem interpretadas será sempre uma qualidade a ser desenvolvida. Quando percebemos que causamos desconforto é preciso explicar, esclarecer e ainda manter aberta a mente para entender o julgamento do outro que ainda não tem o mesmo esclarecimento.

Sem dúvida nem sempre as explicações poderão ter serventia, mas ficará patente que fez sua parte, e o registro destas explicações ficará armazenado na lembrança para o momento que a pessoa possa enfim lhe compreender.

Estar aberto a mudar as opiniões também é sinal de evolução! Nossas certezas de hoje poderão transformar-se em grandes asneiras no futuro, e será preciso admitir que estávamos errados, que naquela época pensamos diferente. Insensato aquele que afirma “eu sou assim mesmo e pronto!”. Se não precisássemos mudar nada não estaríamos aqui! Viemos para irmos além de nossos reajustes, viemos para burilar nosso caráter, termos experiências novas que nos conduzirão ao entendimento das atitudes dos outros. Mágoas do passado são relevadas e perdoadas quando passamos pela mesma situação, só que em posição inversa. Se procurarmos sempre os sapatos dos outros, para compreender suas atitudes, seremos mais tolerantes, mas afáveis. Incansavelmente afirmo: Compreender não significa concordar!

Voltando à pergunta inicial: Estamos evoluindo? Respondamos com outras questões... Estamos compreendendo mais? Estamos abandonando as mágoas do passado? Estamos perdoando? Estamos agindo de maneira a não provocar sentimentos negativos nas outras pessoas, com nossas ações e palavras?

Sei que já estamos controlando bem nossas ações... Somente os mal amados que ainda sofrem e fazem sofrer por seus atos mal pensados. Mas ainda falta aprendermos muito sobre controlar nossas palavras, e, talvez um dia, possamos também controlar nossos pensamento e vibrações esparsas.

Kazagrande

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Qual a missão de seu espírito?

sexta-feira, 22 de setembro de 2017 - 1 Comment


Meus irmãos e irmãs, Salve Deus!

Muitas vezes paramos para nos perguntar qual seria nossa missão neste plano físico e encontramos dezenas de suposições ou absolutamente nenhuma resposta.

A dificuldade que sentimos em definir a nossa jornada parece muito grande, quando verificamos a quantidade de prioridades que nosso dia a dia apresenta. São inúmeras questões da vida material, e sentimental, que dispersam nossos pensamentos e fazem com que nunca foquemos de maneira adequada ao clamor do espírito e a consequente necessidade de compreender “mas o que é que estou fazendo aqui?”.

Se conseguirmos parar para refletir um pouco encontraremos as tais suposições. Obviamente que para cada ser humano surgirá uma resposta, ou respostas, diferente. Cada qual com sua jornada não é? Mas nós temos algo em comum: a mediunidade! Ninguém vem médium por acaso! E médium não é aquele ser especialmente bem dotado por conta de sua grande experiência e evolução! Médium é o ser que, ao preparar-se para esta encarnação, verificou que seus débitos do passado, seus desajustes, seriam tantos que a encarnação serviria apenas para um pequeno alívio frente a tudo que ainda teria por reajustar. Então... pediu, ou até implorou, para poder ter a oportunidade de “fazer algo” que permitisse uma evolução mais eficiente nesta encarnação. Para atender a este “algo” a Espiritualidade lhe deu a oportunidade em cumprir uma missão mediúnica.

Logo... Esta “missão mediúnica” nos reuniu em torno desta Doutrina. Poderia ser em outro lugar, em outra crença, pois a mediunidade pode ser exercida em inúmeras vertentes e grupos. Mas... Nos reunimos na Doutrina do Amanhecer com a possibilidade de encaminhar espíritos (esta é nossa missão) e assim, ao prestar a verdadeira caridade ao total desconhecido, sem qualquer possibilidade de retribuição ou recebimento de benefícios materiais, realizamos o bem, emitimos energia positiva que irá neutralizar grande parte das energias negativas que nos acompanham pelo charme do passado de outras encarnações.

Em síntese, independente de nossas diferenças em relação aos débitos do passado, temos a mesma oportunidade evolutiva que será aproveitada em acordo com a capacidade do caráter verdadeiro de cada um. Falo “caráter verdadeiro” porque não haverá máscaras no cumprimento da missão. Por mais que “se finja de bonzinho” a Espiritualidade avaliará seus sentimentos, sua verdadeira intenção ao realizar seu trabalho espiritual. O trabalho realizado pela vaidade, pela necessidade de sentir-se “o cara”, não servirá muito para sua evolução. Pode até cumprir um papel e realizar benefícios colaterais, mas a verdade estará exposta na cor de nossa aura, em nossas vibrações e pensamentos ocultos pelas máscaras que podemos usar no físico, mas que se desintegram na realidade espiritual.

Estamos aqui para evoluir! Evoluir para o médium é fazer o bem, a caridade total e absolutamente desinteressada de qualquer benefício ou reconhecimento. Muitos encontram na Doutrina o reconhecimento (pelas suas classificações) que nunca terão em sua frustrante vida material e acabam perdendo a verdadeira evolução que advêm da ausência de outras pessoas vibrando contra você! Espírito evoluído (de Luz) é aquele que já não tem mais ninguém vibrando contra ele por conta de suas atitudes.

Sejamos amáveis em nossos trabalhos, cordiais em nossa convivência, semeemos boas vibrações, pois ao apresentarmos nossa vaidade e arrogância somente angariamos as vibrações que nos fazem voltar e passar pelas mesmas situações... uma e outra vez... até aprender a lição

Kazagrande

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

A Preguiça

segunda-feira, 18 de setembro de 2017 - 1 Comment


Meus irmãos e irmãs,
Salve Deus!

Falei recentemente sobre a negatividade a que somos involuntariamente conduzidos e o quanto ela pode prejudicar nossas vidas. Vencer a negatividade é uma tarefa da vida toda, mas não é só isso que impede nossa evolução e também a felicidade possível de ser vivenciada ainda neste plano físico.

“Hoje estou devagar.” Um frase que parece comum e que aceitamos com total naturalidade. Estar “cansado fisicamente” é absolutamente normal, porém, entrar nessa de “estar devagar” e assumir isso como a “meta do dia”, traz muito mais danos do que podemos imaginar.

Somos espíritos que conduzem mentes, e não mentes (personalidades) que direcionam um espírito. É preciso deixar a mente saudável, livre das negatividades e da preguiça! Sim, da preguiça! Encontramos centenas de desculpas para protelar nossas atividades e verdadeiramente boicotar nossa prosperidade e nossa evolução. Entramos em estados depressivos, grande parte das vezes, apenas por preguiça mental.

Sei que estamos em um blog doutrinário, mas esta orientação não se aplica apenas aos trabalhos espirituais. A preguiça de participar de um trabalho espiritual, esconder-se até o trabalho começar ou esperar que ele não possa ser realizado (acreditem: Tem muitos médiuns que agem assim), é uma prática que normalmente custa caro e se reflete por toda nossa vida física. Se você não quer estar à disposição para atender ao chamado de um trabalho, não vá ao Templo!!! Fique em casa, mas não vá semear vibrações em cima de seu couro! Pois, tenha certeza, as pessoas percebem sua má vontade e vibram pesado, mesmo sem ser “de propósito”.

Eu falava que a preguiça não se refere somente ao trabalho espiritual... A dica vale para nossa vida! Nossa prosperidade depende diretamente de nossa disposição em servir de maneira eficiente, seja no trabalho, na família ou ainda dentro de suas relações sentimentais.

Não vou ficar escrevendo sobre os absurdos que fazemos em nome da preguiça disfarçada de desânimo ou de alguma dorzinha. Não vale a pena. Vamos falar das atitudes necessárias para estar bem!

Levante cedo! “Ah... Este povo do Vale dorme tarde e acorda tarde”. Saia dessa! Se você não aguenta levantar cedo, vá dormir mais cedo. Dentro do Vale temos aqueles que “vivem da Doutrina” e esquecem a vida lá fora, deixando a família desmoronar, o trabalho se perder e o patrimônio se esgotar; e existem os que trabalham lá fora, e muito, para poder garantir o necessário equilíbrio entre físico, emocional e espiritual.

Então... Levante cedo! Tome um banho caprichado, coma com mais calma e visualize seu dia dando certo. Sorria para as pessoas em sua casa, diga bom dia com mais amor e lembre que mau-humor é vibração baixa, e custa caro.

Cumpra seus objetivos do dia e não pare enquanto o objetivo do dia não atingido. Encontre forças na mente, pois o corpo responde na medida que sua mente se cura.

Kazagrande

Aprendendo a Pensar


Meus irmãos e minhas irmãs,
Salve Deus!

Uma das máximas de Tia Neiva que mais tempo levei para verdadeiramente assimilar é a que hoje mais repito: “seu padrão vibratório é a sua sentença”.

Incansavelmente sigo buscando maneiras de explanar como é possível ser feliz, ainda neste terceiro plano, quando compreendemos o processo natural da reciprocidade das energias pela nossa capacidade vibracional.

Nossa alma, nossa psique, emite ondas vibracionais, por meio de nossos pensamentos, e recebe na mesma intensidade e frequência, como se fosse um aparelho de rádio sintonizado em uma determinada estação. Nossos pensamentos são estas ondas vibracionais, emitidas em uma frequência positiva, negativa ou neutra. São nossos pensamentos que determinam a “estação” em que estamos sintonizados e que “tipo de música vamos ouvir”.

Imagine que cada pessoa é um aparelho de rádio, recebendo as transmissões na sua sintonia pessoal, e que também cada uma é uma estação emissora, emitindo (vibrando) em favor de alguém, em alguma sintonia específica.

A emissão vibracional é extremamente sutil! A velocidade de nossos pensamentos ultrapassa a da luz, pois são instantâneos. E o poder vibracional é dinâmico, chegando a todos que pensamos, se estes estiverem “na sintonia adequada”.

Agora lembremos que tudo isso não se passa apenas com os humanos encarnados, é uma lei universal a qual todos os espíritos estão sujeitos: sejam encarnados, desencarnados sofredores ou Espíritos de Luz.

Unimos nossas vibrações em uma frequência positiva, atraindo e permitindo o auxilio de nossos Mentores, trazendo mais harmonia, felicidade e realização pessoal; ou nos unimos aos sofredores encarnados e desencarnados, ainda presos em suas invejas, ciúmes, apegos e tristezas...

Estando em equilíbrio, escolhendo nossos pensamentos, podemos verdadeiramente mudar nossas vidas!

Tia Neiva nos tranquilizava ao afirmar que não deveríamos nos preocupar com a quantidade de pensamentos que passam por nossas cabeças, pois temos milhares de pensamentos inúteis e alguns bastante perigosos, e só precisamos nos preocupar em não dar força a eles. Não permitir que o quê não nos faz bem prolifere em nossas mentes! Mudar de canal, de frequência, de sintonia assim que nos damos conta de que nossa mente está divagando na inutilidade.

Não podemos controlar todos nossos pensamentos, mas podemos escolher quais deles emitirão uma vibração, e o nível em que estará esta vibração.

Nossos pensamentos determinam nosso padrão vibratório, e não nossas atitudes. É fácil deixar de praticar maldades, mas é preciso deixar de pensar em maldades, deixar de dar forças aos pensamentos negativos que tentam nos invadir.

Encontraremos pessoas mais equilibradas em nossas vidas, ao buscarmos mais equilíbrio!

Entraremos na mesma frequência de outros seres, encarnados e desencarnados e deles receberemos o mesmo nível de transmissão. Por isso “quando tudo está bem, nada falta”, e “quando está ruim, vai de mal a pior”. Nossos pensamentos nos conduzem a pessoas com a mesma frequência vibracional que nós.

Semelhante atrai semelhante. Rejeitamos ou absorvemos os pensamentos de acordo com nosso mundo interno. Estando positivos, assimilamos pensamentos positivos, de prosperidade, alegria. Estando negativos, nossa mente torna-se receptiva às vibrações negativas e assimila pensamentos de medos, tristeza, raiva, inquietação.

Meus irmãos e minhas irmãs, somos Jaguares! Médiuns preparados com um plexo Iniciático dotado de um poder imenso! Nossos pensamentos, nossas vibrações, são potencializadas, multiplicadas exponencialmente. Por isso nosso poder ao vibrar positivamente é infinitamente maior; e, por outro lado, nosso padrão negativo nos leva tão rapidamente ao desespero e ao caos.

Não somos mais crianças inocentes! Temos que parar de criticar, de vibrar negativamente entre nós mesmos e potencializemos tudo o quê for positivo. Pois, o que é negativo deve ser imediatamente descartado. Este é o motivo porque me calo quando vejo coisas tristes acontecendo: jamais alimento o quê não irá me fazer bem!

Lembremos das três perguntas que sempre procuro manter vivas: O quê vou fazer, falar ou pensar, irá resolver a situação? O quê vou fazer, falar ou pensar, irá me fazer bem? O quê vou fazer, falar ou pensar, irá fazer bem par alguém?

Salve Deus!


Kazagrande

DISCIPLINA



A grande herança de nossa saudosa Esparta não é a “espada do guerreiro”, mas sim a “disciplina do soldado”. Hoje não temos mais as ordens do Rei Leônidas, mas aprendemos, paulatinamente, a disciplina de Pai João.

Falar em disciplina não implica somente em nossas questões doutrinárias, pois aqui no Exílio do Jaguar tratamos também de nossa vida física, onde a felicidade pode ser atingida por atitudes que possam trazer a prosperidade e semear a necessária evolução do espírito.

É preciso largar a espada, abandonar as respostas ferinas, desarmar-se... Não é possível sermos pessoas melhores, e semear a evolução, enquanto insistimos em ferir os outros pelas palavras e vibrações. Libertar-se da negatividade e da preguiça são primeiros passos para atender ao chamado da disciplina.

Em nossa Doutrina a disciplina é marcada por compromissos que vamos amealhando no transcurso de nossas consagrações. Primeiro assumimos o compromisso de renovar nosso juramento de Iniciação, todos os dias, três vezes ao dia (12, 15 e 20 horas), emitindo em favor de todo o Universo a Energia do Jaguar Iniciado, que se unifica a todos, encarnados e desencanados, que passaram por este ritual. Depois vamos acumulando outros compromissos: Retiro, Estrela... A cada novo passo, mais um compromisso assumido.

Para nossa vida física não existe melhor começo, ou recomeço, que reavivar este compromisso e insertar, no dia a dia, mais rotinas de ações que semeiem vibrações positivas e contribuam em atrair pessoas e oportunidades melhores para nossas vidas.

Anteriormente falei em acordar cedo (Texto: A Preguiça), em ter um sorriso de “bom dia”, de metas traçadas para cada dia. Devemos aliar estas ações à criação de rotinas mais ou menos fixas para nosso dia, por exemplo: Ter horários em que determinamos, e cumprimos, atividades benéficas para nosso corpo. Algum tipo de exercício, uma caminhada, algo dentro das possibilidades do físico de nossa idade. Horários para alimentar-se, para convívio familiar, para o trabalho, ou mesmo a procura dele. Também é importante direcionar uma parte do tempo para sua missão espiritual.

A balança de nossa vida é tríplice, assim como também somos seres tríplices. Corpo, mente e espírito, vida física, psíquica e espiritual. Equacionar nosso tempo de forma sensata é a chave do equilíbrio e do sucesso! Ter tempo para o físico (vida material, trabalho, estudos, saúde); ter tempo para a vida psíquica (vida emocional, amores, família, relações sociais) e ter tempo para a vida espiritual (nossos trabalhos no templo).

Não é possível ser feliz vivendo extremismos! Não será feliz internando-se no Templo, pois ali não traz dinheiro e não é lugar para conversas sociais ou afetivas. Não seremos felizes mergulhando no trabalho material e esquecendo o restante, e menos ainda se nos entregamos a uma paixão e deixamos de lado o trabalho e o espírito. Equilíbrio é a chave! Tudo é importante, e tudo ao mesmo tempo, não resolve direcionar sua energia somente para um dos pratos da balança. Somos tríplices eu repito!

A disciplina em cumprir o planejado, porém estando aberto às intuições, é uma das melhores maneiras de ser feliz! Todas as vezes em que abandonei algum destes pratos a vida desandou. Trabalho, família e Templo, em uma divisão consciente de prioridades, tempo e dedicação igual para cada uma.

Kazagrande

PROSPERIDADE - Um pouco de prática



Resposta a um irmão que deseja prosperar.

Nossa vida neste plano físico sempre se apresenta como uma interminável escola. Eu poderia ficar por diversas páginas falando das lições que a vida nos oferece, mas entendo que você precisa mesmo é de encontrar caminhos, soluções e não ficar lendo páginas cheias de boas intenções e com pouca aplicação prática.

Vamos à realidade:

Meu irmão, você é um espírito a caminho! Encontrou a Doutrina, que lhe proporciona o necessário para seu equilíbrio espiritual. Mas somos seres tríplices, nossa balança de equilíbrio possui três pratos e somente quando estamos em real equilíbrio é que nossas vidas podem avançar rumo a prosperidade.

Os três pratos da balança:

Vida Espiritual – Tudo que se refere ao seu espírito. É necessário ter realmente em mente a doação, o sentimento de servir ao próximo sem esperar nenhuma recompensa. Os trabalhos espirituais contribuem em grande parte para isso, mas não são somente eles que lhe trarão o equilíbrio. É preciso ter uma constância que independe de sua presença física no Templo. Não é internando-se no Templo que sua vida será resolvida! Precisa lembrar-se dos seus três horários, ter alguns minutos durante o dia para seu espírito e procurar sempre olhar as situações de sua vida cotidiana pelos olhos do espírito, sendo mais tolerante e humilde.

Vida Emocional – A Alma, a mente e as emoções! É necessário também encontrar o equilíbrio dos sentimentos, dos desejos, dos relacionamentos com os seres amados, com os amigos e com aqueles que se dizem seus inimigos.

Vida Física – Aqui entra sua vida material. O trabalho, os estudos, a saúde! Encontrar a fórmula para progredir materialmente não é tão difícil quanto parece. Primeiro é preciso entender a realidade que se apresenta, decidir mudar e ter coragem para assumir estas mudanças. Iniciar novos projetos, abrir mão daquilo que não mais lhe serve. E também não esquecer o corpo físico!

Nestes três campos da vida somente com equilibro é que prosperamos. Por isso a célebre frase de Tia Neiva: Seu padrão vibratório é sua sentença!

Vibrando negativamente, sem esperanças, tudo que estiver nesta mesma faixa será atraído! Não pense nas dívidas e despesas, pense nas soluções e na alegria que terá quando tudo estiver realizado. Descarte qualquer negatividade!

Descarte também qualquer negação (eu não posso, não sei se vou conseguir, não sei se vai dar...), pois a negação é o primeiro passo para a negatividade e a consequente irrealização pessoal.

Lembre-se que nenhum, mas nenhum espírito mesmo, vem para este plano para sofrer! Todos vêm com condições de cumprir suas metas kármicas e ainda serem felizes. O Pai deseja que sejamos felizes! Precisamos vibrar nesta felicidade, acreditar fazer coisas boas e atrair pessoas boas.

Quem irá querer lhe ajudar se estiver negativo? Nem seus mentores podem se aproximar e lhe intuir, se o seu padrão não deixar! Muitas vezes estão esperando que você “melhore” seu padrão para poder intervir! É preciso que você permita com seu padrão.

Não falo nada da boca para fora! Eu vivi momentos muito difíceis e por mais de uma vez. Demorei a aprender a lição. Somente no encontro com Pai João, quando perdi até minha última moeda, é que pude espiritualizar-me, entender, aceitar e reerguer meu padrão. Acredite: tudo foi muito rápido! A mudança REAL do padrão permite que você passe a atrair coisas boas, pessoas boas e situações que irão mudar sua vida.

Não tem receita mágica, é prática pura! Pense positivo, atraia o bom e produtivo para sua vida, estarei vibrando com você.

Um fraterno abraço,
Kazagrande

UM ALERTA: A INVEJA É A NEGATIVIDADE EM MOVIMENTO! COM INVEJA JAMAIS PODERÁ PROSPERAR E SER FELIZ!

Teacher


Isolado em seu castelo na antiga Escócia, agora parte do Reino Unido, o velho Lord (título concedido pelo Rei) sentia um vazio em sua existência. Tinha conquistado tudo o quê precisava para sentir-se verdadeiramente feliz e realizado: posses, terras (o bem mais precioso de todos os tempos), ouro e serviçais leais.

Porém o clamor de seu espírito pediu algo mais... Atribuía seu sucesso material à sua capacidade de gerenciamento de crises, e não a qualquer ser invisível que outros chamavam de deuses, ou a crendice da “sorte”. Sua esposa lhe dedicara fiel amor durante toda sua vida, e ao partir deste plano deixou uma saudade boa, repleta de lembranças agradáveis, que não lhe permitiam a tristeza ao recordar.

Em uma de suas noites de angústia injustificada teve um sonho. Sonhou que os pobres tomavam seu castelo e repartiam todo o seu ouro. Desesperado perguntava a um e outro: “O quê vão fazer com esse outro?” E ouvia sempre a mesma resposta: “Vamos comprar comida!”. “E depois?” insistia com o interlocutor, e novamente uma resposta igual: “Não sabemos!”

Acordou suado e reflexivo no meio da noite.

Pela manhã preparou sua charrete e foi passear pelos povoados que circundavam seu castelo. Viu tanta miséria que chegou a pensar em realizar o sonho e repartir toda sua fortuna. Porém, lembrava da segunda pergunta: E depois? E a resposta: Não sabemos!

Durante semanas reuniu seus leais servidores e passou a elaborar um plano de reestruturação daquela população. Procurou os que sabiam da arte de tecer, plantar e colher. Buscou aqueles que detinham a arte de manufaturar matérias primas e os que conheciam técnicas de armazenamento. Também encontrou os que sabiam das preferências dos nobres consumidores da Corte Real.

Com um planejamento estabelecido, iniciou sua missão: procurar o povo e instruir-lhes sobre como progredir na vida! Um a um dos camponeses, pequenos artesões, costureiras e tantos outros que detinham alguma habilidade, mas nenhuma instrução, técnica ou contatos comerciais, foram recebendo as valiosas lições sobre como poder progredir.

Misturava-se com o povo sem revelar sua real condição de “senhor do castelo”, de Lord. Apresentava-se com uma boina de tecido xadrez, característica dos escoceses, um simples colete e um cachecol cuidadosamente posto. O cachimbo dava-lhe um ar de distinção que o diferenciava dos habitantes comuns.

Suas instruções eram tão precisas e eficazes que todos o passaram a chamar de Professor, ou “Teacher” em inglês.

Teacher mudou a vida de todos e viu a prosperidade chegar àquela região. Poucas vezes foi necessário “colocar algum dinheiro” extra, porém quando o fazia, exigia o compromisso de devolução. Suas técnicas, e precisas informações, eram quase sempre suficientes para que cada um cuidasse de seu próprio negócio.

Em retribuição a todo o bem que praticou junto aos necessitados, aprendeu com eles sobre o Deus a quem oravam pedindo que alguém lhes fosse enviado para ajudar. Convivendo com eles aprendeu sobre sua fé e espiritualizou-se. Mas esta é outra história.

Teacher é visto como o grande protetor de nossas finanças. Não que vá ajudar você a ganhar na loteria, mas para trazer o caminho, para que com seu próprio esforço e trabalho, possa modificar sua vida e trazer a prosperidade.
Portanto, nada de fanatismo, de ficar pedindo soluções mágicas! A resposta está no conhecimento e trabalho. As oportunidades chegam a nossas mãos de acordo com nosso padrão vibratório, com o quê atraímos pelos nossos pensamentos, palavras e ações. Disposto a trabalhar e com a mente clara, pode até receber uma “ajudinha” do professor: Teacher!

O quadro original desta Entidade, pintado a pedido de Tia Neiva, foi deixado na Lojinha do Vale, única fonte de arrecadação oficial de recursos. Mestre Carmênio foi quem o recebeu.

Kazagrande

Muitos já me escreveram pedindo que escrevesse a história do “Teacher”, o “Mentor Financeiro do Vale do Amanhecer”. Busquei nos Acervos alguma referência, mas nada! Lembro que certa vez ouvi uma história, mas não sei precisar sua veracidade ou origem, reescrevo não como verdade absoluta, mas fruto de uma lembrança e da intuição que me chega. Kazagrande

Que pedes à vida ?


Os ambiciosos reclamam reservas de milhões.
Os egoístas exigem todas as satisfações para si somente.
Os vaidosos reclamam louvores.
Os invejosos exigem as compensações que lhes não cabem.
Os despeitados solicitam considerações indébitas.
Os ociosos pedem prosperidade sem esforço.
Os tolos reclamam divertimentos sem preocupação de serviço.
Os revoltados clamam por direitos sem deveres.
Os extravagantes exigem saúde sem cuidados.
Os impacientes solicitam realizações sem bases.
Os insaciáveis pedem todos os bens, olvidando as necessidades dos outros.
Essencialmente considerando, porém, tudo isso é verdadeira loucura, tudo fantasia do coração que se atirou exclusivamente à posse efêmera das coisas mutáveis.
Vigia, pois, cuidadosamente, o plano dos teus desejos.
Que pedes à vida ?
Não esqueças de que, talvez esta noite, pedirá o Senhor a tua alma.
Emmanuel
Do livro "Nosso Livro"
Psicografia de Francisco Cândido Xavier
Louco, esta noite te pedirão a tua alma. JESUS, Lucas 12:20

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Incorporando várias Entidades

sexta-feira, 15 de setembro de 2017 - 3 Comments


Durante o Desenvolvimento mediúnico o Apará deve ser orientado a concentrar-se em seu Mentor, de maneira que vá aprendendo bem a identificar as energias dos diferentes Mentores.

O Preto Velho, ou Preta Velha será o Mentor “de frente”. O Mentor com o qual é emplacado e que irá acompanha-lo até o Castelo de Iniciação. Será, para sempre, a Entidade que o acompanhará em todos os passos de sua Jornada Missionária.

Porém, o Apará é um aparelho perfeito! Sente claramente a energia de outros Mentores quando está incorporado. Percebe, por exemplo, em um atendimento de Tronos, a presença do Mentor do paciente, a aproximação do Mentor de Cura, ou do Caboclo... Caso não esteja concentrado em sua Entidade, irá inevitavelmente incorporar outras.

Mas... Está errado incorporar outras Entidades que não sejam Mentores diretos do Apará?

Não! Em absoluto! Depois de concluído o Desenvolvimento, Emplacamento e Elevação de Espadas, o médium está completo! Poderá trabalhar sem qualquer problema com outras Entidades. Inclusive com certas particularidades, exemplos:

O paciente aproxima-se e claramente a energia muda do Mentor muda, pode ser que uma determinada Entidade tenha a necessidade de realizar aquele trabalho para este paciente específico;

O Apará pode passar por uma faixa kármica que será manipulada com a incorporação de outro Preto Velho;

O Mentor assume determinada missão espiritual e outro fica responsável durante certo período, voltado após cumprir aquela missão.

Estes são apenas alguns exemplos clássicos, mas existem inúmeras situações espirituais, que não temos a faculdade de ver ou interpretar, que podem gerar uma troca de incorporações.

O Apará ao incorporar coloca-se a disposição da espiritualidade e, portanto sempre estará recebendo a projeção de todos seus Mentores. Em qualquer trabalho, todos os Mentores do Apará estão a sua disposição. No Desenvolvimento o Médium de incorporação deve ser orientado a concentrar-se na Entidade que trabalha no setor correspondente, justamente para evitar Preto Velho batendo no peito e Caboclo estralando os dedos. Obviamente estarão os dois presentes, mas a manipulação depende da concentração do aparelho consciente da incorporação.

É natural que em alguns casos o Apará sinta a projeção, por exemplo, do Médico nos Tronos, por uma necessidade do paciente e pela constatação de que aquele paciente não poderá ir até a Cura depois. Isso não quer dizer que vá incorporar o Médico nos Tronos. Ele está presente e emana sua energia curadora junto ao Preto Velho. Uma projeção de Preto Velho durante a incorporação do Caboclo, também pode ocorrer, porém, não existe a necessidade de “misturar” as incorporações por conta desta projeção. A presença das Entidades é patente, porém sua manifestação depende do nível de concentração do Aparelho na Entidade que efetivamente está incorporada.

Desta forma, voltamos a necessidade da orientação no Desenvolvimento, onde o Instrutor é responsável por corrigir as incorporações antes da liberação do emplacamento.

Ao médium Centurião que começa a manifestar estes sintomas, somente podemos abordar como um tema geral de reunião, pois jamais se chama a atenção de um Centurião: ele já é responsável por todos seus trabalhos mediúnicos.


Kazagrande

Escute seu espírito!



Em nossas vidas físicas se apresentam situações em que as decisões podem mudar os rumos de todo um direcionamento planejado espiritualmente, por nós e nossos Mentores, ao nos preparamos para esta encarnação... É o Livre-Arbítrio!

Somos livres para tomarmos as decisões e modificar nossas vidas, influindo, por vezes, na vida de várias das pessoas que nos cercam.

Algumas vezes insistimos em caminhos tortuosos. Nosso orgulho não permite nos libertarmos dos apegos materiais ou sentimentais. Nossa vaidade clama por sustentar o quê claramente não possui mais uma utilidade benéfica, nem para nós e nem para os outros.

É preciso nestas horas buscar a voz do seu próprio espírito! Temos em nossas mãos este grande Acervo de Luz, deixado por nossa Mãe Clarividente, e que nos ensina a abandonarmos a personalidade transitória, que tão pouco representa face à experiência transcendental de nosso espírito, e mergulhar na Individualidade, que possui adormecida a sabedoria de tantas passagens por este plano físico.

Somos missionários! Missionários kármicos, mas ainda assim missionários! Isso significa que viveremos nossas mazelas humanas, nos preocupando diariamente com a sobrevivência e com os reajustes a serem cumpridos, mas teremos este Acervo de Luz disponível para nos direcionar em nossas escolhas e decisões.

Mas Mestre, como é que vou saber o quê foi traçado? Como posso saber se estou fazendo certo?

Salve Deus! Querem saber na prática? Meus irmãos e irmãs, aprendemos que ao entrar no Templo deixamos para trás todos nossos problemas, nos mediunizamos e mergulhamos na Individualidade. Porém, não deixamos de ser médiuns quando estamos fora do Templo. Seguimos com nossa capacidade de contato espiritual e dominamos as técnicas.

Ao precisar tomar decisões mediunize-se! Procure seu Aledá, seu cantinho de orações ou seu quarto se assim desejar; libere sua mente! Pare tudo por alguns instantes e mentalize seus Mentores, Pai Seta Branca, com a mente livre! Não fique com os problemas na cabeça, eles fazem parte de sua personalidade, para seu espírito tudo já está traçado e resolvido!

Neste momento de “lucidez”, em que poderá sentir a presença da Luz, sem a angústia provocada pela dificuldade de compreender com a mente humana, estará em contato com seu verdadeiro “eu”.

Envolvido pela Luz sentirá exatamente qual o caminho que naturalmente se apresenta. Não resista! Não coloque desculpas, empecilhos e pensamentos claramente infantis. Não questione sob o auspício do orgulho e da vaidade! Entregue-se ao que naturalmente se apresenta, com a certeza de que se seguir adiante por esse caminho, estará no roteiro natural de sua jornada previamente traçada.

Não canso de repetir que todos os espíritos, até mesmo o mais endividado, ao receber a oportunidade de uma encarnação, recebe igualmente a oportunidade de cumprir todos os reajustes traçados e ainda ser feliz neste Terceiro Plano.

Podemos até julgar que nosso espírito está errado, que as decisões que parecem se apresentar são ridículas e que jamais poderão dar certo. Acredite, é possível! Estes dias mesmo, vivi uma situação em que minha decisão deveria trazer um série de consequências que dificultariam minha vida. Mas era este o caminho a ser naturalmente seguido. Não vacilei, pedi intuição aos meus Mentores, e ajuda com a oração de meus irmãos! O “impossível” aconteceu! Tudo se resolveu sem traumas. Houve um custo, é claro, senão o reajuste não estaria completo e “voltaria” depois, mas nada perto da dor que poderia gerar.

Pelo amor, ou pela dor... Não é assim? Escutemos nosso espírito, sigamos o “Caminho Natural” e a dor que se apresentará, será apenas a necessária professora para abrandar nossa personalidade ainda arraigada nos apegos materiais.

Kazagrande

RECEBA POR EMAIL

Inscreva seu e-mail e receba todas as publicações do EXÍLIO DO JAGUAR !!!

© 2013 O Exílio do Jaguar. All rights reserved.
Designed by SpicyTricks