ÚLTIMOS TEXTOS

sábado, 31 de julho de 2010

Aulas com o Trino Tumuchy 2

sábado, 31 de julho de 2010 - 1 Comment


Salve Deus!

Devido aos diversos comentários, todos positivos, sobre os áudios do Trino Tumuchy, estou disponibilizando mais três áudios, com excelentes aulas para serem baixados.

Espero que aproveitem desta fonte de saber que decodificou nossa doutrina em seus livros, palestras e registros.

Um fraterno abraço,

Kazagrande

Áudios do Trino Tumuchy, Mestre Mário Sassi.



Biblioteca – Herculano Pires

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Biblioteca – Elio Mollo

quinta-feira, 29 de julho de 2010 - 0 Comments

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Aprendendo com vocês

segunda-feira, 26 de julho de 2010 - 2 Comments


Embora a quantidade de visitas do blog seja bastante grande e cheguem, todos os dias, diversos emails, poucos se aventuram a comentar diretamente na página.

Uma das poucas comentaristas assíduas assina como “Grega Lua”.

No dia 14 de julho, no texto “Compreender e Auxiliar”, publicado neste blog, ela deixou comentários que particularmente me emocionaram.

O texto fala basicamente sobre “não julgar”! Embora não estejam as palavras de Tia Neiva, afirmando que o julgamento é o pior desajuste, esta informação fica claramente implícita, nos levando a necessidade de refletir sobre nossas ações.

Emocionei-me pela coragem em relatar os passos seguidos para o cumprimento da missão compreendida! Pela simplicidade com que agiu de boa fé diante dos fatos com os quais se identificou.

Ajudar! Sim, auxiliar o próximo, eis a grande missão que nos é confiada. Há pouco escutava uma gravação do Trino Tumuchy, onde ele nos falava que já viemos preparados para esta jornada, e que devemos estar prontos para ajudar e não ficar clamando por sermos auxiliados.

Mas como distinguir a quem empregar estas forças? Como saber se devemos ou não auxiliar os que vemos em dificuldade? Tantas decepções a maioria já pôde experimentar, depois de ter dedicado seu coração e espírito, em busca de diminuir a dor alheia, seja ela física, material ou espiritual.

Para auxiliar devemos levar em conta o fator espiritual do momento. Não podemos nos deslumbrar com a energia que nos envolve, com as cores que nossa mediunidade proporciona, dando uma tonalidade entusiástica a tudo que nos cerca. Há de se diferenciar e compreender quando, e até onde podemos ir. Se por um lado não devemos nunca negar o auxílio que nos é pedido, de outro, não podemos sair por aí querendo resolver os problemas dos outros, simplesmente porque acreditamos que temos forças para isso.

Existem situações a serem analisadas e levadas em conta.

Primeiro os que nos são confiados: Nossa família, as pessoas que fazem parte desde o princípio de nossa encarnação e que, com certeza, escolhemos ao vir para este plano físico. Escolhemos nossa família, onde encarnar e, por conseguinte temos algum compromisso com estas pessoas. São pessoas que nos conhecem e confiam em nós, e mais do que isso: por nossa condição especial de médium preparado nos planos espirituais para esta encarnação, de Jaguares da Última Hora, podemos afirmar que nos são confiadas. A estes devemos nossa dedicação e respeito, até o momento em que naturalmente se rompam os laços de ligação ou reajuste. Enquanto permanecer o sentimento de ligação espiritual, mesmo que distantes fisicamente, o compromisso permanece.

Outra situação são os que nos são enviados: Aqueles aos quais, por vezes inesperadamente, chegam a nossa porta em busca de auxilio. Não podemos ignorar os que chegam inexplicavelmente até nós e pedem ajuda. Não importa se é o mendigo que lhe pede uma moeda, ou um amigo do amigo que chega em busca de alguma luz, ou ainda, um paciente que chega até nós pelos trabalhos no Templo. Por este juramos!

A terceira situação é quando observamos alguém e queremos ajudar. Este é o ponto mais delicado! Não conhecemos nada a respeito do carma pessoal de cada um, sobre as dificuldades que necessariamente a pessoa tem que passar para aprender alguma lição, para reerguer-se como alguém melhor depois da dor. A Terra é uma grande escola, e não sabemos o grau de disciplina que cada um precisa para poder “passar de ano”.

Como auxiliar a quem não nos pede ajuda? Podemos nos comprometer com algo que não podemos carregar ou que não nos pertence. A medida exata do auxílio esta na Voz Direta que recebemos de nossos Mentores por meio dos valorosos Aparás (Ninfas e Ajanãs). Na mesma medida em que não negamos o auxílio a quem nos procura para algo dentro de nossas possibilidades, também não saímos por aí oferecendo o auxílio a quem não nos é enviado.

É importante que se tenha noção de que orar por uma pessoa ou por uma situação de dor coletiva, pedir com amor e desprendimento, não é comprometer-se com o carma de ninguém. A Oração é o bálsamo revigorante que todos necessitamos e que podemos também distribuir gratuitamente. Em nossas Contagens, em nossas preces diárias, manipulamos em prol de todo o Universo a energia do Jaguar, sem que isso signifique que passaremos a carregar o carma do mundo.

A verdadeira caridade gratuita, ao desconhecido total, praticamos dentro do Templo, ao receber o paciente e, com todo amor e carinho, respeito e seriedade, abrandar sua dor e dar-lhe esperanças. Quantos que passaram por nossos trabalhos, receberam o quê lhes aguardava e seguiram suas jornadas sem olhar para trás. Ali a caridade é verdadeira e sincera, pois não temos como esperar qualquer tipo de retribuição física ou emocional. Na verdade, ao encerrar os trabalhos somos nós que agradecemos a oportunidade, isso pela nossa compreensão do quanto podemos estar ganhando espiritualmente, se trabalhamos em sintonia.

Ao dar um almoço, uma sopa, saciar a sede e a fome do corpo físico também praticamos a caridade, desde que a atitude seja totalmente desprendida de qualquer perspectiva de retribuição.

Recordemos então daqueles que nos são enviados... Por vezes nossos cobradores, irmãos e até mesmo o grande amor de nossa vida! Podem chegar a qualquer momento em busca de auxilio, seja espiritual ou até mesmo uma pousada e um prato de comida. Não podemos ver, e o quadro somente será revelado após o reajuste, ou missão cumprida.

O exemplo de nossa irmã Grega Lua, indo busca da oportunidade que deixava perder, por envolver-se na energia dos que não compreendiam sua atitude de caridade, é uma forma clara de como sempre podemos, se tivermos a devida humildade e coragem, ir de encontro aos que nos são enviados, aos que nos pedem, e aos que confiam em nós.

Repito que não sabemos o quê nos aguarda, um grande amor, uma decepção, uma amizade eterna ou uma cobrança terrível, mas quando chega até nós é porque existe um motivo.

E quanto a buscar o quê não nos pertence, erro que cometemos normalmente no início de nossas jornadas mediúnicas, gerando frustrações e bloqueios para situações futuras, guardemos apenas como lembrança da lição de que o verdadeiro amor, o amor incondicional, é livre, não escraviza, nada exige, nada promete.

Kazagrande

Link para a postagem “Compreender e Auxiliar” e os comentários de nossa irmã: http://exiliodojaguar.blogspot.com/2010/07/compreender-e-auxiliar.html

sábado, 24 de julho de 2010

Aulas com o Trino Tumuchy

sábado, 24 de julho de 2010 - 0 Comments

Salve Deus!

Novos áudios para baixar, são aulas do nosso saudoso Trino Tumuchy, Mestre Mário Sassi, sobre diversos assuntos, e também uma com o Adjunto Yumatã, Mestre caldeira.

Vale realmente à pena dedicar um tempo a baixar estes arquivos, e poder desfrutar desta rica fonte de conhecimento de nossa Doutrina. Encontramos com facilidade áudios espíritas pela internet, mas com a clareza e o direcionamento que precisamos, e ainda mais, na voz do próprio Tumuchy... Não deixem de lado esta oportunidade!

Kazagrande

Aula 01
Aula 02
Aula 03
Aula 04
Aula Adj. Yumatâ

Espero que recordem de mim quando estiverem impacientes em suas atribuições, com as falhas dos outros. Lembre-se sempre que entre ele e você, estou eu! Lembrem-se das palavras que digo a vocês quando não estão certos, quando tem algum erro de Doutrina: Muito Amor, meus filhos! Com amor nós conseguiremos o Discípulo amigo, humano e evangélico.

Tia Neiva em 1983 - Na carta ao Trino Galeros










quarta-feira, 21 de julho de 2010

Livros mais baixados

quarta-feira, 21 de julho de 2010 - 0 Comments


Salve Deus!

Meus irmãos e irmãs,

Postando novamente os livros mais baixados do blog. Foram mais de 1.000 downloads somente destes livros. Destaques para Zíbia Gaspareto, Exilados de Capela, Memórias de um Suicida e Sexo e Destino


Zíbia Gaspareto:


http://www.4shared.com/document/M7aupZlW/ZBIA_GASPARETO_-_LCIUS_-_A_VER.html  


http://www.4shared.com/document/JVZt8VB7/ZBIA_GASPARETO_-_ELES_CONTINUA.html  


http://www.4shared.com/document/Kl-mJ-jL/Zibia_Gasparetto_-_Nada__Etern.html  


http://www.4shared.com/document/njFNZMaP/Zibia_Gasparetto_-_Faa_Dar_Cer.html


http://www.4shared.com/document/wTsWS3s3/ZIBIA_GASPARETO_-_LUCIOS_-_O_M.html


http://www.4shared.com/document/qnW3fVKT/ZIBIA_GASPARETO_-_O_FIO_DO_DES.html  


Exilados de Capela


http://www.4shared.com/document/YBzlAL5s/OS_EXILADOS_DE_CAPELA_-_EDGARD.html  


Sexo e Destino


http://www.4shared.com/document/YAAxRLmx/XIV_SEXO_E_DESTINO.html


Memórias de um suicida


http://www.4shared.com/document/RkdM2tW5/MEMRIAS_DE_UM_SUICDA_-_IVONE_A.html  


Outros mais baixados


http://www.4shared.com/document/Umhy3Wmk/R_A_RANIERE_-_ANDR_LUIZ_-_O_SE.html  


http://www.4shared.com/document/WAPix5is/VERA_LCIA_MARINZECK_-_ESCRAVO_.html  


http://www.4shared.com/document/IkbZtJdX/Aao_e_Reaao.html  


http://www.4shared.com/document/DD1bCmxd/XV_DESOBSESSO.html  


http://www.4shared.com/document/HeYNLVG1/VIDA_E_SEXO_-_CHICO_EMMANUEL.html  


http://www.4shared.com/document/1kozNcnM/X_AO_E_REAO.html  


http://www.4shared.com/document/JpeKiWF-/XII_MECANISMOS_DA_MEDIUNIDADE.html  


http://www.4shared.com/document/jMAqU16x/XVI_E_A_VIDA_CONTINUA.html  


http://www.4shared.com/document/vtpb1cNP/CANAIS_DA_VIDA_-_CHICO_EMMANUE.html  


http://www.4shared.com/document/qnH_yRwY/XI_EVOLUO_EM_DOIS_MUNDOS.html  


http://www.4shared.com/document/_haHfdVT/OBSESSO_-_CHICO_EMMANUEL.html  


http://www.4shared.com/document/hz7879fB/XIII_CONDUTA_ESPRITA.html  


http://www.4shared.com/document/9B2DNmog/VERA_LCIA_MARINZECK_-_ANTONIO_.html  


http://www.4shared.com/document/B0QLWjqy/VIOLETAS_NA_JANELA_-_VERA_LCIA.html


http://www.4shared.com/document/rhnVvIIH/AGONIA_DAS_RELIGIES_-_JOS_HERC.html

sábado, 17 de julho de 2010

Carlos Torres Pastorino

sábado, 17 de julho de 2010 - 0 Comments

Abaixo temos uma coleção para baixar grátis da “Sabedoria do Evangelho” (Volumes 1 a 8) e Minutos de Sabedoria.

Ele foi escritor, poeta, jornalista, historiador, músico, filósofo, poliglota, emérito conhecedor de seis línguas vivas, sem falar no seu profundo conhecimento de latim e grego clássico, e das abordagens ao hebraico e sânscrito. Tudo isso e mais: ensinava sem impor, partilhando convívio de homem sem rancores, aberto a tudo e a todos, graças a sua vivência evangélica. Na sua biblioteca havia "apenas" quinze mil volumes.

Autor de 28 obras publicadas, incluindo-se a "Sabedoria do Evangelho", da qual somente oito volumes foram editados. Traduziu Pietro Ubaldi, de quem foi amigo, compôs 31 peças musicais para piano, orquestra, quarteto de cordas e polifonia a três e quatro vozes.

Em 1929 estava em Roma, quando se preparava para promoção a Diácono, decepcionado ante a "recusa" de Pio XII em receber o Mahatma Gandhi com seu habitual traje branco, renunciou ao sacerdócio e mudou seu rumo para sempre...

O inesquecível Brasileiro Carlos Juliano Torres Pastorino, mais conhecido como C. Torres Pastorino, foi o autor de "Minutos de Sabedoria". Espiritualista confesso, em 1950, após a releitura de "O Livro dos Espíritos", o que fez em apenas dois dias, tornou-se espírita desenvolvendo atividades doutrinarias muito intensas. No bairro do Grajaú, começou a freqüentar o Centro Espírita Julio César; fundando mais tarde em sua própria residência, na Rua Sete de Setembro, 223, O Grupo Espirita da Boa Vontade, que mais tarde passaria a denominar-se Grupo de Estudos Spiritus. Desse Grupo surgiram, depois, com ajuda de Jaime Rolemberg de Lima, o Lar Fabiano de Cristo, a CAPEMI, e o SEI - Serviço Espírita de Informações.

Eis aí, e aqui, Carlos Pastorino mais vivo que nunca, ensinando, pregando, escrevendo: a morte é vida!

“Sabedoria do Evangelho” (Volumes 1 a 8)

http://www.4shared.com/document/Ukrux3lY/CARLOS_TORRES_PASTORINO_-_Sabe.html


http://www.4shared.com/document/qCQSS5rx/CARLOS_TORRES_PASTORINO_-_Sabe.html


http://www.4shared.com/document/7Dlh8HyB/CARLOS_TORRES_PASTORINO_-_Sabe.html


http://www.4shared.com/document/zAfoBqkd/CARLOS_TORRES_PASTORINO_-_Sabe.html


http://www.4shared.com/document/RSvYGute/CARLOS_TORRES_PASTORINO_-_Sabe.html


http://www.4shared.com/document/AU2nWmAi/CARLOS_TORRES_PASTORINO_-_Sabe.html


http://www.4shared.com/document/8sbwztSY/CARLOS_TORRES_PASTORINO_-_Sabe.html


http://www.4shared.com/document/lrK5jiL-/CARLOS_TORRES_PASTORINO_-_Sabe.html

MINUTOS DE SABEDORIAhttp://www.4shared.com/document/La7nXnQy/CARLOS_TORRES_PASTORINO_MINUTO.html

Outros Falecimentos da Semana

14/07 Mestre Eurípedes “Gão” 5º Yurê – 1º Mestre Luz da Falange de Cruzada

14/07 Susana Maria Gusmao Vilar “Susy – Herdeira do Adjunto Januy, Mestre Vilar (+) // 7º Raio Adjuração Arcanos Rama 2000 – Consagrado por Tia Neiva

Meus pêsames à família de nossa irmã “Susy” e do Mestre “Gão”, com a medida da compreensão, da necessária passagem para um mundo, onde muitos conhecidos e desconhecidos amigos estarão esperando para abraçá-los!

Quantos espíritos, encaminhados por intermédio destes aparelhos de Pai Seta Branca, estão aguardando para dar o fraterno abraço àqueles que consideram grandes amigos e abnegados benfeitores!

Que a alegria deste encontro suplante as lágrimas da saudade!

Um fraterno abraço,

Adjunto Anavo - Mestre Kazagrande

Na foto: Susy com seu sobrinho (filho de Rosana Vilar)

Vídeo com depoimento do Mestre Vilar, seu pai, enviado pela família.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

HOMENAGEM: Mestre Albuquerque

sexta-feira, 16 de julho de 2010 - 7 Comments

Desde que tive a confirmação da noticia, na manhã de hoje, estou tentando escrever e não consigo. Rendo-me uma vez mais à emoção do momento e deixo fluir sobre o teclado algumas lembranças, que tentarei dar forma de texto, de homenagem, de amor.

- Tumááááátii!!

O grito inesquecível vem em primeiro lugar na mente. Era assim que o tio chamava o Tomate, um dos meninos do orfanato que foi morar na sua casa, quando o orfanato fechou. Não era um grito para uma bronca ou repreensão, era o “jeitão” do Coronel.

– Que foi Capitão?

E ele com tranqüilidade acrescentava:

- Você já comeu? Não vá sair de novo sem comer!

O Coronel foi uma figura marcante na vida de todos que tiveram a oportunidade de conviver com ele mais proximamente. Muruaicys, meninos do orfanato, pessoal da Casa Grande, do salão de costura, e uma infinidade de agregados que sempre estavam compartindo sua mesa farta, de uma comida simples e emanada pelo seu grande amor em sempre compartilhar.

Apesar dos horários estranhos do almoço e jantar, não tenho lembrança daquela mesa vazia no momento da refeição. Sempre com a família reunida e mais alguns agregados acolhidos.

Falar do Coronel inevitavelmente leva a falar de comida... Sempre perfeccionista na supervisão, ou execução, dos jantares e almoços para as reuniões e eventos que participava. Lembro de uma bronca que ganhei por estar mexendo o estrogonofe no sentido errado:

- Rudriiiigo! Não é assim! É deste jeito ó!? Sempre para este lado!

Nunca soube se estava me sacaneado ou tinha algum motivo... Como perguntar?

Queria sempre tudo certinho, direitinho. E ensinava com suas atitudes a organização necessária para melhorar nossas vidas.

Lembro das primeiras grandes festas na entrada do Vale, onde sua técnica orientava cada vaga do estacionamento. Era divertido e construtivo observá-lo em ação! Há pouco eu e minha ninfa ríamos com as lembranças que ele nos deixou. Sempre coisas boas e produtivas. Nunca vi ou ouvi o coronel usando seu comando para destruir ou para gerar vibrações contra este ou aquele.

Ele teve uma Veraneio (uma caminhonete Chevolet 74 placa lz-7777) da qual cuidava com o maior zelo. Supervisionava todo tipo de manutenção e limpeza a ser feito. Mas demonstrava seu desprendimento quando era necessário, cedendo o carro para todos os tipos de “operações” organizadas por Tia Lúcia (percorrer os acidentados caminhos que um dia ainda seria ruas do “Pacheco”, por exemplo, atrás de pessoas listadas para a cesta de fim de ano). Quando minha filhinha de um aninho sofreu um acidente doméstico, deixava as chaves a disposição para o que eu precisasse e a hora que fosse.

Remexendo a caixa das lembranças da memória, posso afirmar que ele tem uma marca fundamental nos caminhos de minha vida. Na época da primeira reforma da Casa de Tia Neiva, quando os painéis começavam a descascar, a madeira empenar; após muitas madrugadas de trabalho para reformar os painéis, re-selecionar as fotos, classificar, datar, pintar, criar uma forma de proteger o máximo possível aquele acervo, que hoje seria considerado totalmente rudimentar, ainda tinha legendas “batidas a máquina” (datilografadas) e muitas faltavam dados ou inexistiam. Eu tinha um pequeno conhecimento operacional e comecei a digitar as legendas em um computador emprestado, conseguido pela Alessandra, esposa do Tony. Porém o computador precisou ser devolvido e esta parte do trabalho tinha apenas começado. Ele virou para mim e perguntou:

- Você gosta disso, por que não compra um?

Respondi que não tinha crédito e que a vista custava quase 2.500 reais. Ele não falou mais nada. No dia seguinte pediu ao Tomate para me buscar em casa pela manhã, me levou a uma boa loja, e disse para fazer o orçamento. Depois de olhar perguntou:

- Quanto você agüenta pagar por mês?

Respondi e ele mandou fechar o negócio. Assim, sem muita conversa. Não precisava! Ele observava com calma as atitudes de cada um, e sabia até onde podia confiar ou se comprometer com a pessoa. Aquele trabalho foi completado, e aquele primeiro computador garantiu o sustendo da família por muito tempo. Durou até a chega da internet e a necessidade de máquinas mais potentes. Dessa forma, e com essa atitude, e auxiliou muito mais do que se poderia imaginar, a minha vida.

Em um primeiro contato, todos consideravam o tio muito sério, fechado e os que “deviam alguma coisa” sentiam um medo natural. Com a convivência, esta impressão se revelava incorreta. O Coronel tinha muito bom humor, e gostava de conversar com pessoas inteligentes. Quantas vezes ficávamos rindo sozinhos no escritório, pela manhã, esperando a Tia Lucia despertar. Passar ali pela manhã era esquecer o dia até a hora do almoço. Valia à pena sacrificar outros compromissos para ouvi-lo falar assim, longe de todos, distante da impressão de “chefe” que lhe era marcante.

Seu exemplo familiar também tenho que recordar! Do “vamu, vamu, vamu” que repetia para que as coisas andassem mais rápido, à necessidade de reunir a família para as refeições, muitas adotei como minhas atitudes pessoais. Recordo o carinho especial com que recebia o Valério nas poucas oportunidades que podia visitar a família, seu empenho na construção da casa do Tony, cuidando de cada detalhe de aproveitamento do espaço e acabamentos. Sua resignação em atender sempre o que lhe pediam, argumentando suas opiniões, mas nunca se negando a auxiliar em qualquer projeto. Ao decidir participar e fazer, lá estava procurando executar, ou fazer que executassem da melhor forma.

O Mestre Albuquerque, Adjunto de Apoio das Muruaicys era sempre esperado com expectativas nas reuniões de Falange. Sua palavra amiga, seus ensinamentos profícuos e até mesmo seus alertas graves a conduta doutrinária, sempre tinham o cunho de uma demonstração de carinho e comprometimento com a missão. Chamava a razão sem esquecer a ternura das ninfas que ali estavam. Nunca ouvi nenhuma delas demonstrar qualquer sentimento por ele, que não fosse carinho e respeito.

Muitos dos meus primeiros escritos eu submetia a ele primeiramente. Mensagens que levei aos Templos em minhas jornadas com o Mário, cartas pessoais, e até mesmo algumas mais particulares. Confiei sempre em sua razão, equilíbrio, imparcialidade e sinceridade ao avaliar com atenção tudo o que lia.

Desejar paz aos que ficam chorando por ele e dizer que ele com certeza está em um bom lugar, é demasiadamente óbvio. Prefiro encerrar este texto como ele mesmo faria:

- Vocês deixem de frescura! Tratem de rezar e trabalhar para eu não ter que me incomodar por aqui.

E depois calmamente acrescentaria:

- Amo todos vocês! Eu vou estar bem! A razão é o equilíbrio perfeito entre o amor que desejamos e o amor que merecemos.

Kazagrande

terça-feira, 13 de julho de 2010

Um Ajanã na luz do Sol

terça-feira, 13 de julho de 2010 - 0 Comments

Abaixo uma mensagem, mais do isso! Na verdade um poema de um Mestre Ajanã de longa data. Um veterano que tem a humildade assumir a contínua busca do aperfeiçoamento pessoal. Meus respeitos Mestre Julio.

Salve Deus!

Sou apenas um Ajanã solitário sobre o divã do sol.

Aceitação! Esta é uma palavra chave para estes nossos momentos.

O preconceito de idéia mata a mente.

Incluir os outros é a lição da vez, observo em mim mesmo...

Nunca devemos ficar às margens da verdade, a título de fidelidade ideológica, em uma interpretação racional difusa sob a ritualística.

Preocupo-me com os contextos... Falando para mim... Mas todos são meus irmãos neste caminho terrestre!

São bonitas as histórias e as experiências fora do corpo, mas as considero acima de tudo sob a égide de uma forma subconsciente de estudos. Uma ferramenta de aprendizado inter-planos.

A mediunidade aguçada traz algo do paraíso e muito do umbral, sobretudo se o ser ainda estiver preso ou refém do ego.

Este acervo eletrônico é prova e testemunha da universalidade do gesto abnegado de iluminados educadores.

O conhecimento está aberto a quem o busque.

A fonte é Una no universo!

Pai Seta Branca, simultaneamente também o Francisco de Assis.... Duas mensagens em épocas tão distintas: a cura desobsessiva do planeta, e a purificação e auto-superação exemplificada no espaço da humildade!

A inocência franciscana e pureza dos sentidos! Não basta só desobsediar, mas sim simultaneamente, também, melhorar a nossa presença neste plano! Mais além até do que a Conduta Doutrinária. A vida na matéria é um desafio, um teste a ir além dela!

Semeando a verdade aprendemos a amar os outros como sendo a si próprio (no limite de cada capacidade).

Somos ascendentes da Corrente Indiana do Espaço e temos todas as etnias do universo. Podemos distinguir o que é um cruzamento de corrente e não ter medo de buscar os conhecimentos.

Salve Deus! Interpretação da expressão de origem egípcia que honramos com a verdade absorvida e semeada aos quatro cantos do universo.

O amor sincero é a ponte que encurta todas as distancias, que une todas as crenças, todos os irmãos.

Julio Sheridon

Nossa Biblioteca

Salve Deus!

Dando continuidade aos nossos livros de estudos para baixar grátis, hoje temos mais três obras, de autores não tão fortemente divulgados, mas igualmente importantes.

Em o “O Caminho dos Essênios” encontramos a vida oculta de Jesus.

Sonhos Mensagens da Alma” mostra valiosas explicações tanto perguntadas nos emails.

Já “A Evolução Anímica” é um livro mais denso, mas igualmente produtivo para os que possuem o espírito de cientista, característico do Jaguar.

Baixam a vontade e boa leitura!

Kazagrande

A Evolução Anímica - Gabriel Delanne


Adenáuer Novaes - Sonhos Mensagens da Alma


Anne e Daniel Meurois - O Caminho dos Essênios

terça-feira, 6 de julho de 2010

DESPERTAR

terça-feira, 6 de julho de 2010 - 0 Comments

Ah! Como seria bom se despertássemos!

Se compreendêssemos o quanto nossa vida neste plano é apenas uma breve passagem, que temos o quê aprender e somente isso é o quê verdadeiramente importa. Que sabe parássemos de desperdiçar as oportunidades de sermos felizes e principalmente de fazer os outros felizes.

Corremos muito, temos pressa para quê? Para colher frutos ainda não amadurecidos? Para cobrar da vida um néctar que só existe plenamente em outros planos?

Eu sei que não podemos adivinhar o quê está faltando, ou aonde ainda estamos errando... Mas temos nas mãos as ferramentas para seguir com natural precisão os caminhos que a vida nos oferece, para aprender esta lição e semear o verdadeiro futuro que nos espera, que nos é reservado.

Coisas pequenas demais nos rebaixam de padrão, nos entristecem, nos enraivecem, nos enfurecem! Acostumamos a conviver com o padrão oscilante e não buscamos a compreensão dos motivos.

Julgamos aos outros e não a nós mesmos. Não paramos para ver questionar por que se aborrecer por tão pouco?

Nos calamos, quando deveríamos falar. Falamos demais, quando deveríamos ficar em silêncio.

Não damos o abraço que tanto nossa alma pede porque algo em nós impede essa aproximação.

Não damos um beijo carinhoso "porque não estamos acostumados com isso" e não dizemos que gostamos porque achamos que o outro sabe automaticamente o que sentimos.

E passa a noite e chega o dia, o sol nasce e adormece e continuamos os mesmos, fechados em nós.

Reclamamos do que não temos, ou achamos que não temos suficiente.

Cobramos. Dos outros. Da vida. De nós mesmos. Nos consumimos.

Costumamos comparar nossas vidas com as daqueles que possuem mais que a gente.

E se experimentássemos comparar com aqueles que possuem menos?

Isso faria uma grande diferença!

E o tempo passa...

Passamos pela vida, não vivemos.

Sobrevivemos, porque não sabemos fazer outra coisa.

Até que, inesperadamente, acordamos e olhamos pra trás.

E então nos perguntamos: e agora?

Agora, hoje, ainda é tempo de reconstruir alguma coisa, de dar o abraço amigo, de dizer uma palavra carinhosa, de agradecer pelo que temos.

Nunca se é velho demais ou jovem demais para amar, dizer uma palavra gentil ou fazer um gesto carinhoso.

Não olhe para trás. O que passou, passou.

O que perdemos, perdemos.

Olhe para frente!

Ainda é tempo de voltar-se para dentro e agradecer pela vida, que mesmo efêmera, ainda está em nós.

(Adaptação do Mestre Samuel perfeita para o dia de HOJE)

domingo, 4 de julho de 2010

Mais Livros Espíritas

domingo, 4 de julho de 2010 - 0 Comments


Seguindo nosso projeto de enriquecimento cultural do Corpo Mediúnico, aqui estão disponíveis mais 3 livros para download gratuito:

A Prevenção de Drogas (sob a visão espírita)


A Semente de Mostarda de Chico e Emanuel


A Felicidade sem Culpas


Boa leitura!

Kazagrande

RECEBA POR EMAIL

Inscreva seu e-mail e receba todas as publicações do EXÍLIO DO JAGUAR !!!

© 2013 O Exílio do Jaguar. All rights reserved.
Designed by SpicyTricks