quinta-feira, 8 de junho de 2017

UM LUGAR PARADISÍACO

Pelo Adjunto Ypuena - Mestre Lacerda

Eu dormia quando Tia Neiva levou-me a um lugar no espaço, lugar esse que tinha a forma de uma pedra arredondada. Daquele lugar tínhamos uma visão de todo aquele mundo. Tia Neiva pediu-me para que prestasse atenção nas cores que ali existiam, pois o lugar era de um colorido tão lindo que não tenho palavras que possam descrever com precisão aquele magnífico ambiente. Tia Neiva pediu-me que andasse por aquele lugar. Comecei a me sentir levitando naquele mundo colorido. Cheguei a um lugar onde o transporte era realizado através de várias correntes aquáticas.

As águas desses rios dividiam-se em cores; era fantástica a movimentação das águas, indo e vindo, subindo e descendo, igualmente à movimentação de escadas rolantes aqui na terra. Era como um mundo sem maldade, uma coisa pura e bela... Ao retornar, Tia Neiva pediu-me para que eu voltasse à minha casa. Observando, na minha chegada, vi meus dois filhos dormindo e minha mulher fazendo café.

Na situação em que eu me encontrava, em meu corpo etérico, as paredes não representavam obstáculo, assim, podia atravessá-las sem maiores transtornos e retornar ao meu corpo físico, que despertou em seguida. Acordei meio tonto e confuso, até mesmo com certo conflito em relação ao quadro espiritual vivido por mim fora da matéria.

Tão logo retomei a lucidez pude constatar que, realmente, a minha mulher fazia café e meus filhos dormiam calmamente. Eram seis horas da manha. Mais uma experiência que pude fixar com clareza em minha mente, podendo assim assimilar melhor as minhas idéias, os impulsos, as sensações e imagens da vida fora da matéria, Salve Deus.

Adjunto Ypuena - Mestre Lacerda

Livro: A vida fora da matéria no duplo etérico da terra

3 comentários:

Ainda bem que vc lacerda foi a pedra redonda e nao a branca pois, a segunda opçao e muito triste.

Esclarecimento

O Adjunto Ypuena, Mestre Lacerda, Adjunto de Raiz deste Amanhecer relata com simplicidade as provas que teve durante sua preparação para dirigir um dos maiores e mais conceituados povos de nossa Doutrina: O Povo de Ypuena.

O relato refere-se a momentos do passado, onde Tia, ainda encarnada mostrava as possibilidades de todos que se dedicavam a esta missão.

Quem conhece o Mestre Lacerda sabe de sua seriedade e fiabilidade em tudo que rememora dos felizes tempos de convivência com nossa Mãe Clarividente.

O nome “Tia Neiva” foi usado corretamente, pois foi na roupagem de nossa mãe que ela demonstrou esta experiência ao Adjunto.

Questionar a idoneidade de um dos maiores Adjuntos da história de nossa Doutrina? Somente por total desconhecimento e por não ter convivido com este valoroso Mestre!

Repito o aviso antes do campo para comentários: Comente com amor! Construa e não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas!

Salve Deus!
Venho descobrindo, que muito do que nos é revelado acaba sendo mantido como um segredo íntimo, com medo do julgamento daquele que ainda não conseguiu penetrar nas elipces dos olhos de Tia Neira, estes portais que nos levam a transcender. Janelas já me foram abertas, também portais e isto está para todos, pois jesus disse: "Batei e se-lhe abrirá" mas só a boa conduta doutrinária e o merecimento, e principalmente o modo em que entregamos nosso espírito ao dormir e o modo com que acordamos, sem pressa, buscando a lembrança do sonho em que nos transportamos e que nos dá esta oportunidade. Grato ao Adj. Ypuena Mestre Lacerda, pela Verdade que compartilha, o que muito nos incentiva a crer nesta capacidade, certificando-nos que somos verdadeiramente Filhos de Nossa Mae Clarividente. Salve Deus!

Postar um comentário

Comente com amor! Construa, não destrua! Críticas assim serão sempre bem vindas.